Дървен материал от www.emsien3.com

The best bookmaker bet365

The best bookmaker bet365

Mobilizações em Roraima: a luta continua e viva até o último índio

comunidade Indígena Uiramutã

Com pinturas, danças e cantos tradicionais, expressões por meio de faixas, cartazes e motivados a fortalecer a luta em defesa dos direitos indígenas, em defesa da mãe terra, da vida das futuras gerações, os povos indígenas de Roraima desde o ultimo dia 15 (domingo) fazem as mobilizações locais, antecedendo a Mobilização Nacional no dia 5 de outubro, dia em que a Constituição Brasileira completará 25 anos.  

A mobilização, organizada pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB) será em Brasília (DF), “capital do poder”, e vai reunir povos de diversas regiões do país, num clamor coletivo pela garantia e respeito aos direitos indígenas.

Em Roraima, as mobilizações contra o desrespeito a esses direitos garantidos, principalmente contra a PEC 215, aconteceu no dia 15, na comunidade indígena Pedra Branca, na Terra Indígena Raposa Serra do Sol, reunindo povos Macuxi, Wapichana, Taurepang, Patamona, Ye`kuana e Ingaricó.

O movimento contra a proposta inconstitucional se estendeu à sede do município de Uiramutã no dia 17, com a paralisação das Escolas Municipais Indígenas. A mobilização percorreu nas principais vias do município, fazendo paradas em frente à Prefeitura e Pelotão Especial de Fronteiras, momentos em que aCarta Aberta com as reivindicações das comunidades indígenas foi entregue aos gestores municipais e ao comando geral do Pelotão.  O ato de entrega foi acompanhado com o Hino Nacional, um gesto de patriotismo ao país, sobretudo um gesto de memória da origem indígena no Brasil.

 O manifesto reforçou o repúdio e a indignação contra os projetos que tramitam no Congresso Nacional e Supremo Tribunal Federal, contra principalmente a paralisação de demarcação de Terras Indígenas, revisão das Terras já demarcadas e homologadas, destruição do meio ambiente, da floresta, poluição de rios e lagos sagrados, contra a destruição da vida dos povos indígenas, e o retrocesso das conquistas históricas.   

 

comunidade Indígena Uiramutã

As organizações indígenas, movimentos sociais e demais instituições parceiras da causa indígena, preocupados com o avanço do processo contra os direitos indígenas organizam a mobilização local para o dia 02 de outubro na Terra Indígena São Marcos. Para a organização da mobilização foram realizadas duas reuniões na sede do Conselho Indígena de Roraima (CIR), onde o movimento discutiu medidas emergenciais, estratégias para combater esse avanço político e negociador dos direitos indígenas.  

Além de mobilizar contra os projetos e ações que ameaçam os direitos indígenas, a mobilização vai ser um momento para fortalecer ainda mais o movimento indígena e social, que historicamente estão juntos nas lutas e conquistas. Juntos em defesa da diversidade cultural do país, em defesa da vida e do bem estar de todos os povos. “A luta continua e viva até o último índio”  

Articulações e Mobilizações Nacionais

O Conselho Indígena de Roraima (CIR), atuante na defesa pela garantia dos Direitos dos Povos Indígenas há mais de 40 anos, não somente dos povos indígenas de Roraima, tem incansavelmente participado de articulações e mobilizações a nível local e nacional.

Durante essa semana, 16 e 17, o Coordenador Geral do CIR Mário Nicácio esteve participando da Oficina de Fundos Indígenas, com foco nos arranjos institucionais para a criação, implementação e governança de fundos para projetos indígenas. Participaram da discussão, representantes da Fundação Nacional do Índio (FUNAI), Ministério do Meio Ambiente (MMA), Cooperação Internacional Alemã (GIZ), Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDS) e Organizações Indígenas.

Na agenda de atividades, no dia 18 estava previsto o acompanhamento da sessão no Congresso Nacional, de acordo com a ordem do dia das Comissões, a Comissão em pauta seria a Comissão da PEC 215-00 sobre Demarcação de Terras Indígenas, tendo como pontos específicos a instalação da Comissão PEC 215 e a eleição do presidente e vice-presidente. No entanto, a sessão foi cancelada, mas ficou a indignação por parte dos indígenas, incluindo o Coordenador do CIR Mário Nicacio, pois a princípio havia um impedimento da presença das lideranças indígenas na sessão por não representatividade parlamentar.

Mesmo com tantas pressões políticas, o compromisso de lutar e defender o posicionamento do movimento indígena não será afetado, intimidado com as perseguições constantemente ocorridas. Pelo contrário, os representantes indígenas cada vez se fortalecem, pois tem uma base forte e resistente, a base das comunidades e os povos indígenas.

 

 

Fonte: Assessoria de Comunicação do CIR

 

 

voltar ao topo